Corações em fase terminal

"Caída no chão, a jovem viu o que havia no interior da caixa: era um coração; e, sem saber como ou por que, teve certeza de que era o seu coração."


Autora: Fabiane Ribeiro
Editora: Universo dos Livros

   Cátia é uma jovem que tem muitas coisas na vida: pais amorosos, dinheiro, educação de qualidade, mas acaba se envolvendo com drogas e magoando a si mesma e a todos ao seu redor. Quando tudo parecia perdido, ela acaba acordando em um lugar estranho, sozinha num quarto com um espelho com uma imagem repugnante e uma caixa contendo um coração muito machucado.

    Sem ter lembranças do que passou até chegar ali, ela precisa se adaptar ao lugar onde está e trabalhar para curar seu coração enquanto faz amizades e descobre novas coisas sobre a vida. Seria essa uma segunda chance para sua vida?

    Conheci a autora em outro livro, Jogando xadrez com os anjos (que tem resenha aqui no blog), e gostei muito do seu trabalho. Percebi algumas semelhanças na forma de narrar a história, e gostei muito desse livro também. 

    É um livro bem curtinho, li em um dia só. Tem muitos personagens interessantes e a história consegue prender. Me incomodou um pouco o final, que poderia ter deixado a lição de moral mais subentendida, mais demonstrada do que explicada.

    A cidade onde Cátia acorda e tem que trabalhar para curar seu coração parece muito bonita e tem uma mitologia interessante. Gostaria de ter lido essa história sem saber a história de Cátia logo no começo, acho que seria um bom suspense.
   
    O livro é muito bonito, e essa capa é maravilhosa. Pretendo continuar lendo os trabalhos da autora, inclusive tem um que a sinopse me atraiu bastante. E vocês, já leram esse livro ou algum outro da mesma autora? Não esqueçam de comentar!

Boa leitura!

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Diminuindo a Pilha 2017, do mês de junho, no tema Autoras Brasileiras.


Rage

"When you're five and you hurt, you make a big noise unto the world. At ten you whimper. But by the time you make fifteen you begin to eat the poisoned apples that grow on your own inner tree of pain. It's the Western Way of Enlightenment. You begin to cram your fists into your mouth to stifle the screams. You bleed on the inside."


Autor: Richard Bachman / Stephen King

   Rage foi escrito por Richard Bachman, um pseudônimo usado por Stephen King para publicar algumas obras, e é um livro pequeno de duzentas e poucas páginas. Como estou fazendo uma leitura de todas as obras em ordem de publicação do autor e o desafio do Skoob esse mês era de uma obra citada em outro livro, resolvi lê-lo. Antes de qualquer coisa, gostaria de dizer que é um livro com linguagem forte e violenta e que só pode ser encontrado em sebos e outros sites que vendam livros de segunda mão, uma vez que o autor proíbe sua reedição. 

    Nele encontramos Charlie Decker, um adolescente com um histórico violento na escola, que um dia mata dois professores e prende a turma toda na sala de aula com ameaça de uma arma. Ninguém sabe o que ele quer, aonde quer chegar com isso, ou se tem um objetivo. Enquanto os pais, funcionários e policiais tentam lidar com a situação, é na sala de aula que Charlie fala sobre o que o levou até aquele momento e desafia os colegas a mostrar quem são.

" "I really mustn't Charlie. I can't take the responsibility for-"
"Responsibility?" I screamed. "My God, you've been taking the responsibility ever since they let you loose from college! Now you want to cop out the first time your bare ass is showing! But I'm in the driver's seat, and by God you'll pull the cart! Or I'll do just what I said. Do you dig it? Do you understand me?" "

    Eu não tinha nenhuma expectativa para esse livro, não pesquisei sobre ele antes e só sabia o tema bem superficialmente, então me surpreendi ao sentir estrutura na narrativa. A impressão que tenho ao terminar a leitura é de ler o sentimento raiva. O livro é puro sentimento, violento e exposto para quem quiser ler. Os personagens estão desgovernados, as experiências são chocantes e a situação toda é surreal. 

    Terminei com um sentimento de vazio, de que algo estava faltando ali, mas ao mesmo tempo não faltava nada, difícil de explicar. Provavelmente vou acabar relendo em algum momento. Há várias cenas e passagens fortíssimas, mas eu senti falta de algo para amarrar a história toda. 


"And then a funny thing happened to me... except, when I think about it, it wasn't funny at all. There must be a line in all of us, a  very clear one, just like the line tat divides the light side of a planet from the dark. I think they call that line the terminator. That's a very good word for it. Because at one moment I was freaking out, and at the next I was as cool as a cucumber."


    Como falei acima, não é possível encontrar uma edição nova desse livro, então consegui um volume em inglês, quando viajei para os EUA em 2015 (capa abaixo). De maneira geral eu gostei do livro, mas não sei se posso recomendar ou se valeria a pena a procura de um volume, a não ser que você seja muito fã do autor e queira ler todo o trabalho dele, como estou fazendo. 



   E você, já leu esse livro, tem vontade de ler? Não esqueça de deixar seu comentário abaixo!


Boa leitura!

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Diminuindo a Pilha 2017, do mês de maio, no tema Livros citados em outros livros. Esse livro foi citado em On Writing, de Stephen King.


O Lado Feio do Amor

"É engraçado como as coisas são. Às vezes, não dizer nada fala mais do que todas as palavras do mundo. Às vezes, meu silêncio está dizendo: não sei falar com você. Não sei o que está pensando. Converse comigo. Me diga tudo que já disse na vida. Todas as palavras. Desde a primeira."


Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record

   Tate Collins está começando uma nova vida, e se muda para o apartamento do irmão, Corbin, planejando continuar seus estudos como enfermeira, em um mestrado, e mais para a frente, conseguir seu próprio lugar. O que ela não esperava era encontrar Miles, que mora no apartamento de frente ao seu e é colega de trabalho e amigo de seu irmão.

    Ela não pretendia se relacionar com ninguém para se dedicar completamente aos estudos, e Miles além de misterioso, deixa claro que não tem a menor chance de se apaixonar ou querer um relacionamento. Mas a atração entre os dois aumenta cada vez mais, até que chegam a um acordo: sem promessas de futuro, sem perguntas sobre o passado. Até que Tate percebe que não se apaixonar não é uma escolha que ela possa fazer.

    Vou começar falando que já li outros livros da autora e gosto muito do trabalho dela. Então claro que comecei essa leitura com expectativas. E posso dizer que estavam altas. A sinopse não me agradou muito, pois já vimos esse tipo de história várias vezes, mas fui de peito aberto. Não sei se foi a época, a minha idade, mas eu não consegui gostar desse livro. 

"Estou feliz porque estamos nos divertindo juntos. Estou triste porque estamos nos divertindo juntos. Estou com raiva porque estamos nos divertindo juntos e quero muito disso. Muito mais dele."

    Os dois personagens principais tem suas falhas e eu não consegui me simpatizar com nenhum deles e nem com os dois juntos. Apesar da cena onde os dois se veem pela primeira vez ser um pouco engraçada, cada vez que os dois interagiam, eu não conseguia torcer para que terminassem como um casal.

    O livro se passa em duas partes que se intercalam: uma há seis anos, com Miles terminando o ensino médio e a outra no tempo atual do livro, em que ele é piloto e evita qualquer tipo de conversa mais pessoal. Apesar de não ser exatamente grosso com a Tate, eu acho que ele abre espaços que não deveriam existir no tipo de relação a que eles se propõem, e tem umas atitudes abusivas ao longo do tempo em que estão juntos. 

    O tempo todo nós vemos flashbacks da vida dele, e apesar de não entender muito o porquê do problema inicial existir, eu fiquei abalada com o trauma que ele viveu. Como sempre, a autora teve uma sensibilidade e escrita maravilhosa nesse momento, mas de alguma maneira eu não consegui ver complexidade em Miles e Tate.

   "Agora está claro que eu, muito provavelmente, inventei esses seus sentimentos para que se igualassem aos meus. A emoção que aparecia algumas vezes por trás dos olhos quando estávamos juntos era obviamente uma invenção da minha própria imaginação. Uma invenção da minha esperança."

   Ultimamente, cada livro que leio (principalmente os voltados aos jovens) em que o cara é misterioso mas magoa a mulher por (insira aqui qualquer motivo possível) várias vezes e mesmo assim ela continua correndo atrás dele me deixa um pouco preocupada. Uma amiga minha uma vez veio me dizer que não conseguia terminar outro livro em que o cara era extremamente abusivo porque ela ficava triste de nunca poder ter um relacionamento daquele tipo, com aquela intimidade, e parecia que ela estava ignorando os problemas pela descrição de que eles eram perfeitos um pro outro, com grande sintonia e um grande final feliz, e eu fico pensando em quantas meninas podem romantizar esse tipo de comportamento (principalmente na sociedade machista que vivemos, que muitas vezes já normaliza para nós enquanto crescemos) e até mesmo desejar viver isso. Eu sei que ficção é diferente de realidade, mas de alguma maneira esse tipo de livro não me agrada mais e acho que vale essa reflexão quando você for ler esse tipo de enredo. 

    Como eu li em ebook no Kindle (o livro está disponível no Kindle Unlimited, se você tiver interesse em lê-lo), eu não posso falar muito sobre a edição física. Ainda gosto da escrita da autora, claro, e pretendo ler os outros livros que ela lançou que ainda não foram lidos. Como gosto de dizer, essa é a minha opinião e é claro que você pode gostar do livro, podemos conversar sobre ele nos comentários (só marque spoiler se precisar, para não atrapalhar a leitura dos outros :) )

Boa leitura!

Bout of Books 19 #7 (Conclusão)


Bout of Books

E chegamos ao final de mais um Bout of Books!

Dia 14/05:

Li até a página 210 de Deuses Americanos, de Neil Gaiman. 

Total: 50 páginas.

    Acabei não terminando nenhum livro da meta, mas dei uma boa adiantada em Deuses Americanos e estou gostando da leitura, espero terminá-lo até o final dessa semana. Vou fazer aqui a contagem de páginas lidas nesse período do read-a-thon:

08/05: 16
09/05: 10
10/05: 48
11/05: 08
12/05: 42
13/05: 08
14/05: 50

Total do Bout of Books 19: 182 páginas.

    Foi bem menos do que eu esperava, mas estou feliz de ter participado, talvez não tivesse me "forçado" a ler em alguns momentos se não fosse por esse desafio. Já anunciaram a data do Bout of Books 20, que será realizado do dia 21 à 27 de Agosto. Vocês podem pegar mais informações no site oficial e acompanhar por lá. Voltaremos a programação normal do blog em breve ;)

Boa leitura!

Bout of Books 19 #6


Bout of Books

    E o Bout of Books está quase no final! Chegamos ao penúltimo dia. 

Dia 13/05:

Li até a página 160 de Deuses Americanos, de Neil Gaiman.

Total: 8 páginas. 

    É.... Esse foi o dia em que eu menos li. Mas acho que de forma geral, estaria lendo ainda menos se não fosse esse read-a-thon. O desafio de hoje era escolher quatro livros, cada um representando uma estação do ano, Primavera, Verão, Outono e Inverno. Espero vocês amanhã, para a conclusão desse Bout of Books :)

Boa leitura!

Bout of Books 19 #5


Bout of Books

    Já passamos da metade do Bout of Books, e vamos a atualização do quinto dia!

Dia 12/05:

Li até a página 152 de Deuses Americanos, de Neil Gaiman.

Total: 42 páginas. 

   Até que consegui ler um pouco mais nesse dia e adiantar a minha leitura :) O desafio de hoje era selecionar livros em que as cores das lombadas formem as cores do arco-íris. Espero vocês amanhã, para o sexto e penúltimo dia do Bout of Books! 

Boa leitura!

Bout of Books 19 #4


Bout of Books

   Já chegamos ao quarto dia do Bout of Books, e aqui vai a atualização.

Dia 11/05:

Li até a página 110 de Deuses Americanos, de Neil Gaiman.

Total: 08 páginas.

    Esse foi um dia em que li bem pouco também, até agora o menos produtivo da semana. 

O desafio de hoje era criar um perfil de namoro de um personagem literário, caso vocês estejam curiosos. Espero vocês na amanhã na próxima atualização :)

Boa leitura!

Bout of Books 19 #3


Bout of Books

   Chegamos ao post do terceiro dia do Bout of Books 19!

Dia 10/05:

Hoje eu li até a página 102 de Deuses Americanos, de Neil Gailman. Foi o melhor dia até agora, mas pelo ritmo em que estou conseguindo ler, deve ser o único livro que vou terminar nesse Bout of Books. 

Total: 48 páginas. 

O desafio de hoje era compartilhar uma foto do lugar onde você guarda os seus livros, podendo ser um e-reader, estante, prateleira, etc, mas como não estou conseguindo ler muito, não devo fazer nenhum desafio nessa edição. Espero vocês na próxima atualização!

Boa leitura!

Bout of Books 19 #2


Bout of Books

    E chegamos agora ao post do segundo dia do Bout of Books 19, e já posso adiantar que não foi muito produtivo.

Dia 09/05:

Li até a página 54 de Deuses Americanos, de Neil Gaiman.

Total: 10 páginas.

O desafio do dia era compartilhar uma capa de livro em que as ilustrações fizessem parte da tipografia do título, mas resolvi não fazê-lo também. Espero vocês na próxima atualização!

Boa leitura!

Bout of Books 19 #1


Bout of Books

   E vamos começar agora as atualizações do Bout of Books 19, e acabei lendo pouco no primeiro dia.

Dia 08/05:

Peguei Deuses Americanos, de Neil Gaiman, da página 28 a 44, num total de 16 páginas, bem menos do que eu esperava. 

Total: 16 páginas. 

   O desafio de hoje é se apresentar em seis palavras, mas resolvi não fazê-lo nesse ano. Encontro vocês de novo na atualização do segundo dia!

Boa leitura!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...