TAG: Skoob - Minha estante virtual

    O Skoob é uma rede social para leitores cadastrarem, avaliarem, trocarem seus livros e se informarem sobre eles. Vi essa tag no blog Leitora It e lá está informando que foi indicada pelo blog Distância Certa

1 - Quantos livros lidos você tem na sua aba LIDO no Skoob?
Tenho 198 livros lidos, alguns sem especificar data, que fui registrando pelo que lembrava.

2 - Qual livro você está lendo?
Estou lendo "Stardust", de Neil Gaiman. (http://www.skoob.com.br/livro/679)

3 - Quantos livros tem na sua aba VOU LER?
Tenho 101 livros na aba "Vou ler". Vou cadastrando livros que acho interessantes, sendo no Skoob ou pela internet, para não esquecer. 

4 - Você está relendo algum livro? Qual é?
Não, terminei de reler "A bússola dourada", de Phillip Pullman, no dia 19.

5 - Quantos livros você já abandonou? 
Abandonei o livro "Opúsculo", uma paródia de Crepúsculo. Talvez algum dia eu tome coragem para terminar.

6 - Quantas resenhas você tem cadastradas no Skoob?
Tenho três resenhas.

7 - Quantos livros avaliados você tem na sua lista?
Tenho 195 livros avaliados.

8 - Na aba FAVORITOS, quantos livros você tem registrados? Cite Alguns.
Tenho 3 livros registrados. "A lista Negra", de Jennifer Brown, "A décima nona esposa", de David Ebershoff e "Artemis Fowl: o menino prodígio do crime", de Eoin Colfer. Entretanto, essa é a aba mais abandonada do meu Skoob, sempre esqueço de mexer.

9 - Quantos livros você tem na aba TENHO?
Tenho 43 livros cadastrados, mas não tenho certeza se todos que tenho estão lá.

10 - Quantos livros você tem nos DESEJADOS?
Zero. Outra aba desatualizada.

11 - Quantos livros emprestados no momento? Quais?
Nenhum. Parei de emprestar quando me devolveram um estragado.

12 - Você quer trocar algum livro? Quais são?
No momento não, todos os que tenho quero manter.

13 - Na aba META, quantos livros você tem marcados? Cumpriu essa meta?
Nenhum. Normalmente eu leio o que me interessa no momento, nem sabia dessa aba :)

14 - Qual é o número no seu PAGINÔMETRO?
Paginômetro: 57.497

15 - Qual o link do teu perfil do Skoob?
http://www.skoob.com.br/usuario/238663

Inscrevam-se no Skoob e aproveitem todas as ferramentas que ele tem para oferecer! Para quem gosta é um ótimo lugar para se atualizar e procurar novas leituras. 

Em Chamas


Antes de tudo: Esse livro é o segundo da trilogia "Jogos Vorazes", então para quem não leu o primeiro recomendo que não leia esse post, pois terá spoilers.


Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco

"Tique-taque"

   Terminamos o primeiro livro "Jogos Vorazes" sabendo que Peeta e Katniss escaparam dos Jogos com uma estratégia que pode acarretar em sérias consequências. Nem todos se convenceram com o amor dos dois, e o modo como se salvaram foi interpretado como uma rebeldia. E todos sabemos o que a rebeldia anterior causou aos distritos.

    Meses depois, Peeta e Katniss estão morando na Aldeia dos Vitoriosos e precisam voltar à Capital para a Turnê da Vitória, um evento em que o vitorioso, nesse caso os dois, viajam para cada distrito e para a Capital para uma "comemoração" e rememorar a morte dos tributos. Uma viagem cansativa e dolorosa para todos. Katniss então é informada que ela precisa ajudar a apagar a fagulha que a ação dela causou no final dos jogos, evitando uma revolução e a morte de seus entes queridos.

   Entretanto, Katniss e Peeta estão afastados desde que ele descobriu que ela não o amava e estava usando o amor como uma estratégia traçada junto com seu mentor para sobreviver, o que torna sua missão de parecer loucamente apaixonada muito mais difícil. Durante a Turnê, uma pequena revolta acontece no distrito 11, o que leva a um aumento de segurança no distrito 12 e em todos os outros.

   Nesse ano, acontece o Massacre Quaternário dos 75 anos, uma versão especial dos Jogos Vorazes que acontece a cada 25 anos com condições especiais. No primeiro, os moradores de cada distrito tiveram que votar nas crianças que seriam sacrificadas, no segundo, o número de tributos dobrou. E fica pairando o medo de qual será a surpresa que o terceiro trará. 

   O livro traz um clima mais sombrio do que o primeiro, pois há o medo de castigo para os familiares e amigos, o desafio de tentar agradar a Capital para salvar inclusive a própria vida, e todo o questionamento da validade de uma revolta. Será que valeria a pena?

    Ele nos traz mais perto para a face mais cruel da Capital, a falta de humanidade e a covardia em muitos aspectos, e traz grandes reviravoltas na história, algumas que não ficaram óbvias na história. Mostra quanto o psicológico dos personagens foi afetado pelos jogos, e o quanto eles mudaram por causa disso. Katniss se mostra mais amadurecida, enfrentando a situação com a confusão e a desconfiança que marcam a personagem. É um livro de muitas emoções e que devorei de um dia para outro.

   Para quem gostou do primeiro, é um prato cheio, e para quem sentiu falta de ação e suspense, um banquete.

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Para quem quiser a trilogia completa: Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.




A Décima Nona Esposa

"Em face da morte, com a vida eterna indefinida, poucos estão realmente preparados para se opor a tudo aquilo que lhes disseram ser verdadeiro." 


Autor:  David Ebershoff
Editora: Benvirá

   O livro conta duas histórias: a de Ann Eliza Young, décima nona esposa do Profeta e líder da Igreja Mórmon, Brigham Young, situada em 1873 e a de Jordan Scott, filho de Becklyn, a décima nona esposa de um líder dos Primeiros Santos. Os capítulos se intercalam em narrações das duas histórias, fragmentos de diários de parentes de Ann Eliza, notícias de velhos jornais e papéis de permissão ao acesso de um arquivo de uma faculdade.

   Segundo a orelha do livro: "Em 1890, os mórmons renunciam à poligamia. Contrariados com a decisão, dissidentes criam a igreja Primeiros Santos dos Últimos Dias, que defende que a família plural não é apenas um direito, mas um mandamento. É o Profeta quem diz, e sua palavra é a palavra de Deus."

   Ann Eliza foi uma mulher que em 1873 se divorciou do Profeta de um modo extremamente inusitado. Ela abandonou a comunidade que morava e expôs à sociedade da época através de palestras e posteriormente por um livro publicado, o que se passava numa casa de casamento plural e a vida da mulher nessa situação. Filha de um casamento plural, mulher de um casamento plural, ela teve uma vasta visão sobre suas consequências, visão essa que foi dita como amargurada e invejosa, por algumas pessoas do seu convívio. O livro traz pedaços do seu livro original, e conta parte de sua história.

   A história de Jordan Scott, entretanto, se passa nos dias atuais, em uma pequena comunidade de Utah, que pratica a poligamia mesmo sendo ilegal, e é filho da décima nona esposa de um líder da igreja. Na adolescência ele é expulso de sua comunidade pelo Profeta, que diz a sua mãe, Becklyn que isso seria um teste de Deus para sua fé. Seis anos depois, ele vê no jornal uma foto de sua mãe, numa notícia de que ela teria matado seu pai, e resolve voltar a cidade para descobrir o que aconteceu.

   O livro conta a história da poligamia e como isso afeta uma família, porém, mais importante para mim, é a mensagem de fanatismo religioso e fé cega que ele carrega. Até que ponto as pessoas estão dispostas a ir, e a que estão dispostas a renegar se isso lhes trouxer uma promessa de Salvação? E até que ponto sua felicidade e saúde pode ser sacrificada pelo menos motivo. E o que leva uma pessoa a acreditar que a outra tem o poder de carregar a palavra de Deus, e porque essa pessoa e não ela mesma? Esses são questionamentos que a meu ver, devem ser sempre feitos, independentemente da religião e da época vivida.

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Saraiva, Travessa.

Curiosidades:

- O livro de Ann Eliza Young realmente existe, inclusive comprei o ebook na Amazon, mas como não tenho um inglês muito avançado, acabei me cansando com a leitura, e não sei quando pretendo retomar.

- Existe um filme baseado nessa história, que eu inclusive demorei a conseguir achar na internet para assistir, mas que me decepcionou muito. Mudaram a história radicalmente, inclusive em características dos personagens principais.

- No final do livro o autor discorre sobre o que é fictício ou não na história, e agradece a uma desenhista por uma ilustração que não consta na minha edição e pelo que eu vi no site abaixo, seria essa:



Mais informações:
http://19thwife.com/

A Culpa É Das Estrelas

"Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações."


Autor: John Green
Editora: Intríseca

   A história gira em torno de Hazel Grace, uma menina de 16 anos vítima de um câncer de tireóide, mas que se espalha e se encontra no estágio IV (terminal). Sua mãe resolve que ela estaria em depressão, e o médico indica um grupo de apoio que ela passa a frequentar. Nesse grupo ela conhece Isaac, cego de um olho e com câncer no segundo e Augustus, que teve câncer e tem uma perna amputada, mas já está sem sinais dele.
 
   Com isso ela passa seus dias lendo, vendo American Next Top Model e outros programas do gênero, tendo suporte respiratório pois seus pulmões não respiram mais sozinhos, mas mantendo um ar irônico e realístico sobre sua vida e o que a cerca. Sua mãe passa os dias ao seu lado e seu pai trabalha fora, sustentando a família.
 
   Tenho que confessar que o livro me emocionou e me surpreendeu. Estava esperando um final e um desenrolar que fico feliz em dizer, não vieram. A primeira vista, Hazel e Augustus parecem ser muito parecidos, mas numa análise maior, percebe-se que são muito diferentes, embora os dois sejam apaixonantes.
 
   O livro é relativamente pequeno e a leitura é rápida , mas me pareceu que eu queria arrastar o final e imaginar a história, viajar com os personagens antes que o escritor terminasse sua história. Lidamos com a doença, com a reação dos parentes, com a reação dos pacientes, com a luta de ter uma vida com câncer e não uma batalha contra ele. E o livro tem tantos dilemas existenciais que é impossível não pensar em um deles.
 
    Apesar da temática, existem inúmeros momentos divertidos, sarcásticos, apaixonantes, e acho que isso é que faz o livro ser tão especial, a forma de lidar com o tema mostrando que até uma pessoa com tempo limitado de vida pode ter uma vida normal, e que não é por ser doente que eles não estão vivos e não merecem ter as experiências que todos temos.

   Quando leio algo assim, sempre fico feliz em não estar doente, e não ter essa perspectiva de morte iminente, e ter o tempo ao meu favor. Mas sempre fico irritada quando vejo uma visão de que à beira da morte devemos viver mais intensamente. Como Hazel diz no livro, por não estarmos doentes, achamos que não iremos morrer, o que não é nem de perto, a verdade. Estamos todos à beira da morte, somente pelo fato de estarmos vivos. Então porque não aproveitarmos o tempo para viver, e quem sabe, deixar nossa tão esperada marca, o mais cedo possível?

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Ou aqui com a capa do filme: Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Mais informações: http://www.aculpaedasestrelas.com.br/

Carrie, A Estranha


Autor: Stephen King
Editora: Objetiva

   Stephen King sempre foi um escritor meio desconhecido para mim, pois não estou acostumada a ler o gênero Terror e raramente leio suspenses também. O único que tinha lido era Insônia, que gostei muito. Já assisti aos outros dois filmes de Carrie, e sempre achei a história intrigante, e como será lançado um novo filme que aparentemente será mais fiel ao livro, resolvi lê-lo.

   A história se passa com Carrie White, uma jovem no último ano do colégio, que sofre o que chamamos hoje em dia de bullying por ser considerada esquisita, pois é uma menina introspectiva, sem amigos, e que se veste de uma maneira diferente, sempre de blusa de manga comprida com gola fechada, suéteres largos e saias longas.

   Carrie é orfã de pai, e a mora com sua mãe, uma mulher fanática religiosa, que vê pecado em tudo que existe, e por isso quando sua menstruação chega extremamente atrasada no meio do vestuário, durante o banho, a reação de Carrie é a de pavor, achando que está morrendo. Como é uma reação no mínimo inesperada, e ainda por cima por sofrer bullying, suas colegas aproveitam a situação para mais uma vez, humilhá-la.

    O que ninguém sabe é que Carrie tem poderes telecinéticos, e quando em descontrole emocional, eles se ativam independente de sua vontade. E isso pode ser muito perigoso.

    O livro é muito diferente das duas versões do filme. Tanto quanto à personagem quanto à história. No livro temos mais contato com as emoções, pensamentos e aflições da principal, pois temos vários pedaços narrados por vários personagens, além fragmentos de livros e notícias ficcionais para amparar e ajudar a contar a história, nos dando a sensação de que ela realmente existiu.

    Acho interessante no livro a lição contra o bullying, o perigo do fanatismo religioso e o que a falta de amor e amizade acarreta numa pessoa. O livro é bem curto, e de uma leitura fácil e rápida. Recomendo!

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Saraiva, Submarino.

Ou aqui com a capa do filme: Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.


Jogos Vorazes


Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco

   Bom, o filme foi lançado faz um tempo, meu namorado já leu a trilogia, e aproveitando uma promoção na Submarino, comprei os três livros.

   O livro me chamou a atenção. Só por isso já ganhou pontos. Eu tinha começado a ler antes, mas estava com outros no começo da lista, e acabei não continuando. Curiosamente desta vez, eu não estou conseguindo parar. Li o primeiro em dois dias, já estou lendo o segundo, e doida para ver o final da história.

   O livro se passa numa época futurística, em que a América do Norte acabou e se formou uma grande nação no seu lugar chamada Panem, formada por 13 distritos e a Capital, que comanda todos eles. Em uma revolução o 13° foi esmagado, e uma regra foi criada. Todo ano, cada distrito deveria enviar dois jovens, entre 12 e 18 anos, escolhidos por sorteio, para participar dos Jogos Vorazes, onde esses 24 jovens seriam confinados em uma arena, onde eles devem se matar até sobrar um vitorioso, para relembrar que eles não deveriam se rebelar novamente.

   A personagem principal, Katniss, mora com a mãe e a irmã Prim, de 12 anos, no distrito 12, o mais pobre. Elas sobrevivem muito parcamente, mas conseguem se manter. No sorteio, sua irmã mais nova é escolhida, e Katniss resolve se voluntariar no seu lugar. Assim ela é mandada à Capital junto com Peeta, um rapaz que no passado ajudou sua família. Ela ganhando, traz fama, fortuna, e dinheiro para viver confortavelmente o resto da vida. Perdendo, ela morre e prejudica mais ainda a vida de sua família.

   Achei a personagem principal Katniss, um pouco chata e confusa, e suas reações são muito exageradas. Isso dá um tom um tanto raivoso na hora da leitura, pois o livro é narrado por seus pensamentos, então muitas vezes me vi tendo raiva dela.

   A história é cativante, e dá para sentir que tem algo mais por trás de todo aquele mundo rico e desmiolado da Capital e daquele jogo cruel, o que faz com que queiramos ler os próximos para descobrir. A leitura é fácil, então passa voando e é uma boa pedida para quem gosta de entreterimento e uma pontada de mistério.

   O filme ficou muito parecido e achei bem fiel ao livro, com poucas modificações. Mas recomendo que seja visto depois da leitura, porque pessoalmente, gosto de imaginar os personagens e muitos imaginei totalmente diferentes.

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Para quem quiser a trilogia completa: AmericanasCulturaFnacSaraivaSubmarinoTravessa.

Recomendo!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...