A Décima Nona Esposa

"Em face da morte, com a vida eterna indefinida, poucos estão realmente preparados para se opor a tudo aquilo que lhes disseram ser verdadeiro." 


Autor:  David Ebershoff
Editora: Benvirá

   O livro conta duas histórias: a de Ann Eliza Young, décima nona esposa do Profeta e líder da Igreja Mórmon, Brigham Young, situada em 1873 e a de Jordan Scott, filho de Becklyn, a décima nona esposa de um líder dos Primeiros Santos. Os capítulos se intercalam em narrações das duas histórias, fragmentos de diários de parentes de Ann Eliza, notícias de velhos jornais e papéis de permissão ao acesso de um arquivo de uma faculdade.

   Segundo a orelha do livro: "Em 1890, os mórmons renunciam à poligamia. Contrariados com a decisão, dissidentes criam a igreja Primeiros Santos dos Últimos Dias, que defende que a família plural não é apenas um direito, mas um mandamento. É o Profeta quem diz, e sua palavra é a palavra de Deus."

   Ann Eliza foi uma mulher que em 1873 se divorciou do Profeta de um modo extremamente inusitado. Ela abandonou a comunidade que morava e expôs à sociedade da época através de palestras e posteriormente por um livro publicado, o que se passava numa casa de casamento plural e a vida da mulher nessa situação. Filha de um casamento plural, mulher de um casamento plural, ela teve uma vasta visão sobre suas consequências, visão essa que foi dita como amargurada e invejosa, por algumas pessoas do seu convívio. O livro traz pedaços do seu livro original, e conta parte de sua história.

   A história de Jordan Scott, entretanto, se passa nos dias atuais, em uma pequena comunidade de Utah, que pratica a poligamia mesmo sendo ilegal, e é filho da décima nona esposa de um líder da igreja. Na adolescência ele é expulso de sua comunidade pelo Profeta, que diz a sua mãe, Becklyn que isso seria um teste de Deus para sua fé. Seis anos depois, ele vê no jornal uma foto de sua mãe, numa notícia de que ela teria matado seu pai, e resolve voltar a cidade para descobrir o que aconteceu.

   O livro conta a história da poligamia e como isso afeta uma família, porém, mais importante para mim, é a mensagem de fanatismo religioso e fé cega que ele carrega. Até que ponto as pessoas estão dispostas a ir, e a que estão dispostas a renegar se isso lhes trouxer uma promessa de Salvação? E até que ponto sua felicidade e saúde pode ser sacrificada pelo menos motivo. E o que leva uma pessoa a acreditar que a outra tem o poder de carregar a palavra de Deus, e porque essa pessoa e não ela mesma? Esses são questionamentos que a meu ver, devem ser sempre feitos, independentemente da religião e da época vivida.

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Saraiva, Travessa.

Curiosidades:

- O livro de Ann Eliza Young realmente existe, inclusive comprei o ebook na Amazon, mas como não tenho um inglês muito avançado, acabei me cansando com a leitura, e não sei quando pretendo retomar.

- Existe um filme baseado nessa história, que eu inclusive demorei a conseguir achar na internet para assistir, mas que me decepcionou muito. Mudaram a história radicalmente, inclusive em características dos personagens principais.

- No final do livro o autor discorre sobre o que é fictício ou não na história, e agradece a uma desenhista por uma ilustração que não consta na minha edição e pelo que eu vi no site abaixo, seria essa:



Mais informações:
http://19thwife.com/

8 comentários:

  1. NÃO SEI SE MINHA MENTE ESTA CANSADA DO MEU TRAB OU SE ESSE LIVRI É UM POUCO CONFUSO... DEPOIS QUE VC ME FALE MAIS DELE.

    ResponderExcluir
  2. O livro é bem grande, e a história se divide em duas rs Qualquer coisa é só perguntar =)

    ResponderExcluir
  3. Quando você postar livros psicografado me fala, terei o prazer de confabular com vc...

    ResponderExcluir
  4. Olá Sarah, tudo bem? Sou apaixonada por leituras de todos os estilos, estou curiosa sobre a história desse livro, tenho outros esperando na fila para serem lidos, mas acredito que vou passar esse livro na frente. Gostaria de saber se o livro é realmente interessante e se a história é algo que prende e surpreende, achei poucas opiniões sobre esse livro e elas são muito contraditórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lica, eu gostei muito do livro. A história me prendeu, li bem rápido. Uma coisa a se dizer, no entanto, é que as partes da Ann Eliza foram escritas em 1800 e pouco, e são muito descritivas, então não sei se agradariam a todos. O livro é muito emotivo e carrega algumas surpresas sim. Espero que goste, depois me conta o que achou! :)

      Excluir
  5. Olá Sarah, obrigada pelo seu comentário. Terminei hoje o livro Os Crentes, de Zoë Heller; achei o livro muito bom, estava "a caça" de algo bom para ler e gostei dos poucos comentários que achei na internet desse livro, creio que por causa do título ele é muitas vezes confundido com livros sobre a religião crente, mas não tem nada haver. A Décima Nona Esposa vou ganhar de dia dos namorados, então por enquanto estou "matando" meu tempo com o livro "Eu falar direito um dia" do escritor David Sedaris, esse livro conta várias histórias (hilárias) do proprio escritor, um ótimo livro enquanto se espera o próximo. Grande Abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...