Turma da Mônica (edição 93 - Setembro 2014)


Continuando as postagens dos meses anteriores, vou falar aqui das revistas da Turma da Mônica do mês de Setembro de 2014. Espero que gostem! 

   Essas são as edições 93 (Setembro de 2014):



Magali - Pé de pato, vela e sal!

   Magali, Mônica e Denise estão muito animadas com um grande concurso no bairro, com o lançamento da nova loja, Rei do Quibe, que vai escolher a menina com os pés mais bonitos do bairro. O prêmio será conhecer o lindo filho do Rei do Quibe e viver uma aventura de mil e uma noites, que duram um dia. Mas acabam sabendo mais sobre o prêmio e causam muita confusão!

Nessa edição também temos:
Uma história da Tina (Dá um tempo, Toneco), uma do Dudu (Eu vou desaparecer), outras três da Magali (Agora sim e Mãe, faz um bolo? e O palito premiado), uma da Turma do Penadinho (Esse prêmio tá no papo!) , uma do Horácio (sem título), uma da Marina (Desenhando a Turma) e uma tirinha da Magali .



Cebolinha - Aventuras num quarto vazio

   Em um dia de tempestade, Cebolinha fica terrivelmente entediado quando fica preso dentro de casa, até que Nimbus pede abrigo e uma misteriosa aventura acontece. Muito bom ver uma história tão simples mas tão ilustrativa do que é ser criança. 

Nessa edição também temos:
Uma história do Xaveco (Joga logo essa pedra), outras quatro do Cebolinha (Chorando...Tá frio! Tá quente!Tabuleiros e Planos Malucos), uma do Penadinho (Temperatura Exagerada), uma do Rolo (Dulce, o Docinho!) e uma tirinha do Zé Munheca e uma do Cebolinha.





Cascão - O último dia do Cascão

  Mônica sente um calafrio, e por os cachorros estarem uivando, ela pressente que alguém vai morrer. De alguma maneira ela e Cebolinha acham que é o Cascão, e vão fazer de tudo pra impedir!

Nessa edição também temos:
Outra história do Cascão (sem título), uma do Bidu (Pedra em crise), uma da Dona Morte (Esperando Rosenei!), uma do Seu Juca (No avião) e uma tirinha do Cascão.





Chico Bento - O Mistério do saco sem fundo

  Chico encontra um saco enquanto fugia depois de pegar goiabas, e acaba descobrindo que ele tem o misterioso poder de dar o que a pessoa quer. Mas de onde ele veio?

Nessa edição também temos:
Duas histórias do Piteco (Promoção e Meus Cabelos), uma do Papa-Capim (a outra margem do rio), outras três do Chico Bento (O GaloEm busca da flor perfeita e A onça e a pescaria), uma do Zé Lelé (Rodando Pneu), uma do Tarugo (Jabuti subiu na árvore) e duas tirinhas do Chico Bento.





Mônica - Sempre Alerta!

  Mônica e Magali saem para um piquenique tranquilo quando encontram Cebolinha e Cascão, que estão a procura de um ser misterioso. 

Nessa edição também temos:
Uma história da Marina (Um pouco de cor vai bem), uma do Astronauta (Feliz Dia do Astronauta), uma do Bidu (Azul é a cor mais linda), outras três da Mônica (As regras, Essa situação tá me deixando tensa e Garota-propaganda), uma do Seu Juca (O Assistente) e uma tirinha da Turma da Mônica e uma da Mônica.



 
   Não esqueçam de comentar e deixar sugestões, por favor :)
   E se já leram essas edições e gostariam de comentar alguma coisa podem mandar mensagem para a página (para não dar spoilers para os leitores).

Boa leitura!

Anna Dressed In Blood


Autora: Kendare Blake

    Anna Dressed in Blood foi um livro que conheci em algum lugar da internet, e que me chamou atenção pela capa. Não sou muito de ler livros de terror, mas gostei da premissa. Acabei vendo indicações de vários youtubers americanos que gosto bastante e me animei. Importei os dois volumes (tem uma continuação, Girl of Nightmares, mas até onde pesquisei, acaba ai) e apesar de ter demorado 4 meses para chegar, não perdi a vontade.

    O livro conta a história de Cas e Anna. Cas é um matador de fantasmas, vamos dizer. É um legado que recebeu de seu pai, que fazia isso até ser morto por um dos que devia matar. E é por essa profissão que Cas conhece a história de Anna, um fantasma poderoso que já matou várias pessoas. Atraído por alguma coisa que ele não sabe explicar, ele faz o que sempre fez melhor: se muda para a cidadezinha e se prepara para matá-la.

    Cas é um rapaz que ainda está na escola e mora com sua mãe, e há alguns anos começou a matar fantasmas que matam pessoas. Com isso, eles se mudam bastante e tirando alguns antigos conhecidos, não formam laços permanentes. É ele quem narra a história, e passamos grande parte do livro com alguns diálogos interiores. O humor ácido e alguns comentários dele me prenderam ainda mais.

    Através dele conhecemos mais sobre sua mãe, que é altamente compreensiva e um grande apoio em suas missões, e o terceiro membro da família, um gato que pressente a presença dos mortos e age como um alarme quando eles se mudam. Conhecemos também algumas pessoas da cidade, em especial Thomas, um menino com um dom muito útil e Carmel, a menina que comanda a escola e tem várias informações sobre a cidade e o fantasma que Cas persegue. 

    Anna é apresentada de uma maneira assustadora, o que não é surpreendente, mas me cativou. Tem uma história forte e muita personalidade, e achei o personagem bem construído. O interessante deste livro é que traz fantasmas de uma forma diferente do tradicional, e talvez algumas pessoas reclamem disso, mas gostei dessa abordagem. 

    Quando comecei a ler, não tinha muita expectativa, mas logo me vi presa. Evitei um pouco ler à noite pois vi comentários de que era um pouco assustador, mas, para ser sincera, não senti muito medo. Algumas cenas são fortes e tem muita violência, mas isso me gerou mais uma sensação de náusea do que de medo. Talvez por ter lido em inglês, eu não tenha lido tão fluentemente quanto o normal e acabei não sentindo tanto.

     Falando no inglês, não achei tão difícil, mas não sei como classificar. Algumas palavras e expressões eu deixei passar, pois achei mais importante entender o que estava se passando, o que conseguia fazer. Também não sei apontar se havia muitos erros de gramática ou revisão, pelo mesmo motivo.

    Adquiri a versão hardcover e posso dizer que não me arrependo. Por ter comprado usada, a minha edição estava um pouco castigada, mas ainda muito bonita. Gostei muito do trabalho da editora e da diagramação do livro, que tem páginas amarelas e fonte confortável. Como falei acima, a capa foi um dos motivos de ter querido ler este livro, e confesso que parei para admirá-la algumas vezes durante a leitura. 

    Agora estou com o segundo livro na fila para a leitura, e pretendo fazê-la logo. Não esqueçam de deixar seus comentários abaixo, por favor!

Links para compra: 
- BookDepository (Hardcover, Paperback)
- BetterWorldBooks: Vários vendedores (Foi onde eu comprei, e levou 4 meses. Recomendo olhar com cuidado, pois por serem livros usados, tem várias qualidades (used good, used aceptable, new).

Boa leitura!

Legend


Autora: Marie Lu
Editora: Prumo

   June e Day não poderiam ser mais diferentes. June é um prodígio em ascensão na República, mora na parte rica da cidade e mantém ótimas notas, tendo um futuro brilhante à frente. Day, por sua vez, reprovou na Prova, mora nas ruas e é o criminoso mais procurado pela sociedade. Apesar de terem conhecimento um do outro, os dois não se conhecem, até que as circunstâncias juntam seus caminhos.

    Comecei a ler Legend e percebi vários clichês de distopia. Houve uma grande inundação que dividiu os Estados Unidos entre duas nações: a República e as Colônias. Na República há um sistema: as crianças ao completarem 10 anos fazem a Prova, que, de acordo com a pontuação, as leva às suas obrigações no futuro. A sociedade está dividida em duas classes bem marcadas: de um lado a Elite, que conta com energia elétrica e comida constantes e a população pobre, onde um frango assado completo é um grande luxo.

   Mesmo tendo previsto grande parte das coisas que iam acontecer, eu gostei da leitura. June começa como uma garota insuportável para mim, o modelo da República, que realmente acredita em tudo que é dito, mas com o passar do tempo vai mostrando outra faceta. Já Day é apaixonante de cara. Um tipo de Robin Hood moderno, que já passou por vários problemas e sobrevive nas ruas o melhor que pode. 

   Algumas coisas na leitura me incomodaram um pouco, como a ingenuidade de June em alguns pontos em que ela já deveria saber como funcionava o sistema e em outros momentos mostraram habilidades que poderiam ter sido usadas melhor e foram ignoradas. Faltaram muitas explicações também, mas como se trata de uma trilogia, isso é natural.

    Legend conseguiu prender minha atenção, e ação é o que não falta. Espero que a série consiga se manter no nível e no ritmo desse primeiro livro, mas pelo que já ouvi de comentários por ai, acredito que isso aconteça. E vocês, já leram? Não esqueçam de deixar seus comentários :)

Boa leitura!

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Fnac, Submarino e Travessa.

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,
referente ao mês de Outubro.

Assisti: Maze Runner - Correr ou Morrer




    Li algum tempo atrás o primeiro livro da série Maze Runner, e acabei emendando a leitura com o segundo e o terceiro livros, de tão empolgada que fiquei. Vocês podem conferir a resenha do primeiro livro aqui e a do segundo (contém spoilers!) aqui

    Meu namorado leu o livro também, terminou semana passada, então estávamos ansiosos para assistir logo! Ontem consegui ir ao cinema e resolvi então compartilhar aqui o que achei :)

    Para quem não conhece a história, o filme é uma adaptação do livro homônimo, de James Dashner, e fala sobre Thomas, um menino que acorda em uma caixa estranha, sem nenhuma lembrança, e acaba chegando à Clareira, um grande espaço aberto cercado por altos muros. Nela vivem vários meninos de idades entre 12 e 17, que, ao mesmo tempo que sobrevivem ali dentro, tentam escapar. 

    O filme começa de uma forma bem parecida com a do livro, Thomas acorda em uma caixa estranha, e se encontra num lugar estranho, cheio de meninos. Mas já no começo deu para perceber que o ritmo seria um pouco diferente. A apresentação dos clareanos e da Clareira em si foi diferente, mas o que eu achei um pouco lento no livro, ficou dinâmico e tranquilo no filme.

    Como eu já havia lido há muito tempo, eu não percebi algumas coisas que foram modificadas, mas outras me incomodaram. Há uma grande interação no livro que foi simplesmente retirada do filme e que tem importância nos outros volumes da série. Não vou dar spoiler aqui, mas quem já leu deve ter notado também. 

     Uma coisa que percebi foi que, já sabendo o que ia acontecer, eu acabei não me envolvendo tanto em algumas partes. Talvez porque algumas coisas tenham tido uma evolução que não tem no filme, uma vez que não tem tanto tempo disponível, ou talvez só pelo fato de já saber que estavam por vir. Não impediu que eu me emocionasse ou me assustasse, mas acredito que diminuiu um pouco o impacto que teria se eu tivesse visto o filme sem saber de nada.     

    Quanto a parte visual, gostei muito da construção da Clareira e do Labirinto e achei o conjunto muito bonito. Os atores me agradaram nos seus respectivos papéis, só achei que diminuíram muito o papel da Teresa. Estou ansiosa pelos próximos filmes, que espero que sejam produzidos! E vocês, já assistiram? Deixem nos comentários as suas impressões e expectativas para os próximos filmes, por favor!

    Assista o trailer aqui:


Boa leitura sessão! 
     

O Fogo

ATENÇÃO: Esse livro é o terceiro volume da série Bruxos e Bruxas, cujo primeiro é Bruxos e Bruxas (resenha aqui), e essa resenha contém spoilers dos livros anteriores.


Autores: James Patterson e Jill Dembowski
Editora: Novo Conceito

   E começa mais uma aventura dos dois irmãos predestinados a acabar com a Nova Ordem. Wisty e Whit começam esse novo volume arrasados com o luto pelos pais e pela tristeza ao ver a sociedade se afundar com a peste, uma doença que mata de uma forma lenta e dolorosa, altamente contagiosa. Com Wisty doente e o futuro nas mãos dos dois, conseguirão eles derrotar O Único?

    Começamos esse livro um pouco depois da execução dos pais de Wisty e Whit, e descobrimos que muita coisa mudou. A Resistência se separou, a peste assolou a sociedade e a Nova Ordem está cada vez mais poderosa. Além disso, Wisty está doente com a peste, à beira da morte. Poderão os dois se recuperar e a profecia se cumprir?

    Como os livros anteriores, a narrativa é feita pelos dois irmãos, mas este para mim foi o mais confuso. Lidamos com o luto, tristeza e raiva dos dois por tudo o que aconteceu até agora, e a história se passa praticamente só com os dois, já que as crianças da Resistência desapareceram. Não sei como falar muito sem dar muito spoiler, mas vou comentar algumas coisas que me incomodaram.

    Ainda não consigo ver os dois como todo-poderosos. E gente, terceiro livro. Eles quase não aprimoram sua magia, e muitas coisas que acontecem são por acidente. A Nova Ordem é uma forma de governo louca e desalmada, que reprime qualquer tipo de atitude pessoal que alguém possa ter, mas não acho que o Único represente bem isso. Ele é mais um personagem confuso, e nesse livro eu senti que as caracterizações estavam mais desandadas que o normal.

    Os autores forçam uma relação nesse livro que eu também não consigo sentir, todas as interações entre os personagens são isso: forçadas. Não senti uma evolução natural entre os dois, que levasse a esse desfecho. Infelizmente eu gostei muito da premissa, mas acho que não conseguiram desenvolver a altura, muitos capítulos parecem estar ali só para fazer volume, enquanto algumas partes importantes se passam muito rápido e com pouca explicação.

    Não sei ainda se vou terminar de ler a série, visto que, para mim, este foi o pior dos três livros. Acabei descobrindo que ainda tem um quinto volume em inglês que ainda não saiu no Brasil, o que me desanimou ainda mais. Deixem nos comentários sua opinião sobre a série, por favor :)

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Fnac, e Travessa.

Boa leitura!

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,
referente ao mês de Setembro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...