A Estrela que Nunca Vai se Apagar

"(...) Esther não era incomum porque estava doente, mas porque era a Esther; e ela não existiu para que o restante de nós pudesse aprender Lições Importantes de Vida. O significado da vida dela - como o de qualquer outra - é uma questão enlouquecedoramente ambígua e envolta em incerteza."


Autores: Esther Earl com Lori e Wayne Earl
Editora: Instrínseca

   Esther Earl era uma menina que foi diagnosticada com câncer de tireóide aos 12 anos e morreu aos 16. Mas esse é um resumo muito simplório e que, ao meu ver, não descreve em nada a pessoa que me foi apresentada neste livro. Desde as primeiras páginas tudo que pude sentir foi muito carinho, muita alegria e, principalmente, muita vida.

    O livro reúne depoimentos de pessoas amigas, familiares e profissionais que trabalharam com Esther durante sua luta. Em todos eles conseguimos sentir uma opinião unânime: Esther era a pessoa com mais vida, força de vontade, coragem e amor que eles conheceram. Ela tinha o dom de fazer uma pessoa se sentir a mais importante para ela, de realmente sentar, ouvir e tentar ajudar quem viesse a ela.

    Não vou com esse livro dizer que conheço ou sinto falta dela, porque não é verdade. Infelizmente não conheci e nem sabia quem Esther era até o lançamento deste livro, mas posso dizer que gostaria de tê-la conhecido. Assisti alguns videos de seu canal (que ainda está no ar até hoje) e os achei super divertidos e cheio de animação. Não tive a sensação de que ela tinha um problema ou sentia tanta falta de ar e desconforto com diz em alguns momentos no livro. 

    Uma coisa que eu não esperava nesse livro é que Esther não é descrita como uma pessoas sem erros, nem pouparam o leitor de seus momentos sombrios. Em vários momentos podemos ver uma Esther dividida: de um lado uma pessoa de coração aberto à fé e esperançosa sobre o que Deus reservava à ela, e de outro uma menina assustada, que não queria morrer e não entendia por que estava passando por aquilo tudo. 

    Eu acho que a grande lição que esse livro deixa não é a superação nem a luta contra o câncer, mas o modo de ser de uma pessoa que seria maravilhosa com câncer ou sem ele. Esther era uma pessoa preocupada em fazer a diferença no mundo e batalhou por isso mesmo tendo vários problemas pessoais e limitações físicas. Se preocupava e amparava vários amigos online, que sequer sabiam que estava doente.

    Assistindo seus vídeos e lendo alguns rascunhos de histórias que ela começou e foram publicados no livro eu senti que ela seria conhecida e famosa no futuro. Ela tinha muito potencial. Mas esse potencial não foi desperdiçado, pois ela mudou e fez a diferença na vida de inúmeras pessoas, algumas que nem a conheciam, e acredito que continue fazendo essa mudança até hoje e ainda fará por muito tempo.

    Seus pais criaram a fundação This Star Won't Go Out, onde se encontram várias informações sobre Esther e onde você pode fazer doações, que servem para ajudar famílias carentes a arcarem com o tratamento e despesas financeiras referentes ao tratamento de câncer infantil, como viagens, pagamentos de hipotecas, etc.

    De todas as biografias que li esse mês, essa foi a que me deu mais esperança e confiança na humanidade, e agradeço à Esther por ter sido assim e aos seus pais por terem tido a coragem de enfrentar o luto e criar essa excelente publicação para que possamos amar e ter esperança no próximo. Espero que todos possam ter essa sensação maravilhosa que tive lendo esse livro.

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,
referente ao mês de Maio

Fuga do Campo 14


Autor: Blaine Harden
Editora: Instrínseca

   Aos 4 anos, Shin Dong-hyuk lembra de ter visto uma execução pública. Essa foi só uma prévia do que viria a ser uma coisa normal. Filho de prisioneiros do campo 14, nascido e criado lá, Shin não tem acesso à educação, saúde ou condições adequadas de moradia. O que ele tem de sobra é fome, frio e abusos físicos e psicológicos. Criado para não confiar em ninguém, delatar qualquer um e pagar pelo pecado de seus ancestrais, Shin leva uma vida que, para nós, é inimaginável.

   Sua rotina quando criança era: passar o fome o dia todo, comendo porções irrisórias de repolho cozinho e milho, e quando chegou a uma certa idade, ir para a escola. Mas escola aqui quer dizer um centro onde as crianças são educadas com as 10 regras do campo, e onde devem aprender a sempre obedecer aos professores e guardas, podendo morrer se não o fizerem.

    As crianças já ajudam em algumas coisas no trabalho do campo, mas no começo da adolescência é que o mais pesado começa, levando até a privação de comida e surras se metas não forem atingidas. Doze a quinze horas de trabalho forçado em minas de carvão, fábricas e fazendas é o que conhecem como vida. Mas em algum momento isso muda, e tudo o que Shin pensa que sabe, se transforma.

    Conseguindo o que era dado como impossível, Shin foge do campo onde nenhum outro homem (que se tenha conhecimento) fugiu, mas até hoje carrega as marcas físicas e mentais dos horrores que sofreu lá dentro. O livro carrega essas marcas e nos faz revelações tenebrosas de seu passado. Muitos trechos me fizeram refletir até que ponto a humanidade de uma pessoa pode existir em certas circunstâncias, e o quão baixo (para os nossos parâmetros) um ser humano pode chegar para sobreviver.

    O livro é escrito por Blaine Harden, um jornalista que conduziu várias entrevistas com Shin e outras testemunhas do campos, ex-guardas, ex-moradores da Coréia, presos de outros campos com uma segurança menor, que foram soltos e conseguiram fugir da Coréia do Norte, apurando vários detalhes que ele deu sobre sua vida. Alguns desses depoimentos externos são citados no livro, assim como livros que o autor consultou e estão relacionados nas notas no final.

    Fico muito triste por saber que existem esses campos na atualidade, e que essas pessoas são forçadas a passar por isso e considerar isso uma vida normal. O pior é que, segundo o livro, não é só o povo dos campos que sofre, mas a população da Coréia do Norte inteira passa fome e sofre para sobreviver. Mesmo Shin, que conseguiu se livrar disso tudo, em alguns aspectos não consegue levar uma vida normal. Me pergunto se as mudanças que sofreu poderiam algum dia ser revertidas e preciso ter a esperança que sim.

   Para maiores informações, visitem essa página da Intrínseca, que contém detalhes sobre um documentário filmado sobre a vida de Shin (que não assisti ainda), as dez leis do campo e mais algumas coisas relacionadas à sua vida. 

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Saraiva, Travessa.

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,

referente ao mês de Maio

Doze Anos de Escravidão

"Posso falar sobre a escravidão apenas na medida em que foi por mim observada - apenas na medida em que a conheci e vivenciei em minha própria pessoa. Meu objetivo é dar uma declaração simples e verdadeira dos fatos: repetir a história de minha vida, sem exageros, deixando para outros determinarem se as páginas da ficção apresentam um retrato de uma maldade mais cruel ou de uma servidão mais severa."


Autor: Solomon Northup
Editora: Penguin Companhia

   Solomon é filho de um ex-escravo, que assumiu o sobrenome de seu último senhor, Northup. Nasceu em 1808 e foi educado de forma superior às crianças de sua época, como ele diz. Seu pai, posteriormente à escravidão, tinha uma pequena fazenda, que lhe garantia o direito ao voto. Trabalhava na agricultura e tinha paixão por violino. Acabou se casando e tendo três filhos. Em 1841 aceitou uma oferta de emprego que o levou a ser enganado, sequestrado e submetido à escravidão por doze anos. 

   O autor tinha uma vida confortável com sua família e de certa forma não se preocupava com a possibilidade de ser escravizado, uma vez que nasceu livre. Entretanto, confiou em dois homens que lhe ofereceram um emprego como violinista, e que ajudaria a família por um bom tempo. Sendo levado à outro estado e drogado, ele se viu preso em uma casa onde se traficava escravos, onde apanhou e foi enviado ao Sul, onde a escravidão era mais praticada.

    Contando sua posição de homem livre, Solomon foi ensinado através de surras que nunca mais deveria revelar essa informação, sendo ameaçado de morte. Ele desconhecia essa lei na época, mas sequestro e venda de homens livres como escravos era proibido. Depois de um período em cativeiro, se alimentando mal e apanhando, ele foi vendido para uma fazenda onde conseguiu se recuperar e até fazer amizade com seu senhor e alguns outros escravos.

   Infelizmente, ele foi vendido novamente e passou por vários problemas: trabalho excessivo, tortura (chibatadas e ameaças de morte), fome, falta de vestimenta apropriada e o mais importante: falta de liberdade. Seu coração doía permanentemente com a distância e a falta de informações sobre sua família. Sequer sabia se eles estavam conscientes de que ele tinha sido escravizado. 

    O livro relata o sistema de Escravidão da época, incluindo desde o funcionamento de colheita de algodão e fabricação de açúcar até formas de tortura física e psicológica que eram usadas nos escravos para "motivá-los" a aumentar a produção. Apesar de todo o sofrimento pelo que passou, Solomon ainda conseguia aproveitar pequenos momentos de prazer: conversar com outros escravos, tocar violino nas redondezas, entre outras coisas.

    É uma história muito sofrida mas que felizmente terminou em sua soltura em 1853 e na publicação deste livro. É interessante observar algumas questões sociais da época também, como a necessidade de se ter uma propriedade para se poder votar e a impossibilidade de negros poderem testemunhar ou abrir processos. Graças ao relato quase técnico do autor, esse livro poderia ser incluído como material em sala de aula. 

    Na introdução e no posfácio também constam informações sobre a vida que o autor levou pós-libertação (concluindo em uma morte desconhecida, tanto em causa quanto em local/data) e sobre o filme (que não assisti ainda, mas pretendo em alguma data breve). É uma grande lição de superação e trago a esperança que as pessoas percebam que não era uma situação injusta com ele, por ter sido escravizado injustamente, mas com todos os negros que foram escravizados e que não tinham nem a esperança de uma possível libertação.

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, CulturaFnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,

referente ao mês de Maio

Vida após a morte

"Quero fazer do mundo um lugar mais mágico. Dar à magia uma forma que as pessoas apreciem e que possa mudar suas vidas. Criar uma arte que faça com que as pessoas queiram sempre rejeitar o mundo prosaico e medíocre que as cerca. Minhas ferramentas podem ser o tarô, o trabalho com grupos de energização ou a fotografia, mas meu objetivo é compartilhar com as pessoas toda a maravilha e a beleza que descobri enquanto fiquei trancafiado em uma cela por quase vinte anos".


Autor: Damien Echols
Editora: Intrínseca

   Aos 18 anos, Damien e dois amigos foram acusados pelo assassinato de três meninos de 8 anos em West Memphis, no Arkansas. No entanto, enquanto seus amigos tiveram como pena a prisão perpétua, Damien foi para o Corredor da Morte, esperar por sua execução. O que diferencia seu caso de outros milhares de presos, é que o julgamento foi feito com vários falsos testemunhos, faltas de provas e pressão popular, e segundo tudo consta, passou 18 anos injustamente encarcerado.

    Através do documentário Paradise Lost: the Child Murders at Robin Hood Hills, de 1996, seu caso veio à público, e ganhou apoio de várias celebridades. Em 2011, Damien e seus amigos finalmente foram libertados. O autor então conta nesse livro como foi sua vida pré-prisão e como passou esses 18 anos lutando por sua libertação. 

"Ouvir as cigarras é como ter o coração esfaqueado por lâminas de gelo. Elas me lembram que a vida continuou para o mundo enquanto fiquei isolado em uma caixa-forte de concreto. Em muitas noites, fui acordado pela sensação de ratos caminhando sobre meu corpo, mas nunca ouvi o canto de verão das cigarras. A última vez que o ouvi, ainda não tinha vinte anos."

   Comprei essa biografia na Bienal do Rio, ano passado, e não esperava que fosse tão pesada. Esperava que fosse triste, pois uma enorme injustiça foi feita e o autor passou anos sem saber se morreria por algo que não fez ou se algum dia respiraria ar puro novamente. Entretanto, a vida de Damien Echols foi muito pesada desde o começo.

    Filho de uma família pobre, Damien passou anos na miséria, algumas vezes literalmente passando fome, além de ter sofrido maus tratos e ter sido vítima de vários preconceitos, entre eles na adolescência, quando se achou na música metal e no visual que hoje chamamos de gótico. Morar numa cidade pequena e limitada com um visual diferente do normal não deve ter sido uma experiência feliz.

    O livro contém vários trechos que ele conseguiu escrever em seus anos preso, e oscilam entre depressão e uma esperança enorme. Dentro da prisão, ele estudou e praticou religiões diferentes, e teve provas de amor, compaixão e crueldade humana. Tudo isso contribuiu para que ele mantivesse sua sanidade e esperasse que as coisas pudessem melhorar. Também traz algumas fotos desse período e pós libertação.

"Quase todas as vezes que dou uma entrevista, me perguntam do que mais sinto falta. Quando fazem isso, cem coisas passam por minha mente e as lembranças em causam aquela sensação de queda livre na boca do estômago. (...)
No fim, não é das frutas que mais sinto falta, mas, se você juntasse todas as privações, o resultado final seria algo assim: sinto falta de ser tratado como um ser humano."

    A descrição da justiça local e das prisões em que esteve preso são horripilantes e amedrontadoras. Como aconteceu com ele, poderia ter acontecido com qualquer um, e provavelmente acontece muito por ai. Não foi o primeiro caso de prisão injusta que já ouvi e infelizmente não deve ser o último. A história dele também é contada através de três documentários (Paradise Lost 1, 2 e 3) e em seu site, damienechols.com.

    Damien teve sorte, pois tiveram o interesse de filmar esses documentários, e foram eles que tornaram seu caso conhecido e facilitaram sua libertação. Mesmo assim, foi um processo demorado e doloroso, cheio de falhas da defesa e apatia dos advogados, que sem a pressão e ajuda de celebridades e amigos do autor, não seria possível. Provavelmente sem eles o autor estaria morto hoje em dia e sua história enterrada.

    Foi um livro que mexeu muito comigo, e até agora não sei se o que escrevo aqui consegue refletir o quanto. É triste saber que uma pessoa inocente possa passar por tudo que ele passou, ao mesmo tempo que é um incentivo perceber como um ser humano pode sair disso são e pronto para viver os anos que ainda tem pela frente. É uma biografia forte e deixo aqui as palavras do próprio autor sobre a sua leitura:

"Fico aborrecido de imaginar as pessoas lendo minhas palavras por curiosidade mórbida. Quero que leiam o que escrevo porque isto tem um significado para elas - seja por fazê-las rir ou por lembrá-las de coisas esquecidas que em algum momento tiveram importância para elas, ou simplesmente por comovê-las de algum modo. (...)
Se alguém começar a ler porque deseja ver a vida a partir de uma perspectiva diferente, ficarei satisfeito. Se lerem para saber como é a vida pelo meu ponto de vista, fico feliz. São os sanguessugas que me deixam doente e incomodado - os que não dão a mínima para mim e só se interessam por coisas como prisioneiros no Corredor da Morte."

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,

referente ao mês de Maio

O Segredo do Meu Marido


Autora: Liane Moriarty
Editora: Intrínseca

   Cecilia Fitzpatrick vive o sonho americano: três filhas pequenas inteligentes e bonitas, um marido que é presente e ótimo pai e uma fonte de renda própria e muito lucrativa. Vivem em uma casa confortável e ela é muito popular na pequena cidade. 

   Um dia, porém, ela descobre por acaso uma antiga carta que pode mudar tudo. Com o "Para ser aberto apenas na ocasião da minha morte" escrito no envelope, Cecilia se debate em abrir ou não a carta, e quando finalmente o faz, descobre um segredo que não só perturba sua vida perfeita como afeta outras pessoas.

    Dividida entre revelar ou não o segredo do marido, Cecilia se vê em debates morais e reavalia tudo o que antes considerava perfeito. O que seria a coisa certa a fazer nesse caso? Sofrer com um segredo que não é dela ou magoar pessoas que ama?

   Fiquei muito curiosa com a sinopse, principalmente por ser um segredo que envolve outras pessoas. Tramas complexas são sempre interessantes de se ler. O livro é narrado por mais duas mulheres: Rachel, que sofreu uma grande perda e Tess, que viu sua vida tomar um rumo inesperado. As três intercalam os capítulos do livro, dando uma nova dimensão à narrativa de Cecília. 

   Cecília é uma típica dona de casa americana: se desdobra em várias tarefas. Cuida de todos os detalhes da vida das filhas, se envolve na escola em que estudam e ainda tem tempo para reuniões de venda na casa de clientes. E isso tudo sem se perder em nenhum momento. Quando descobre a carta e posteriormente seu segredo, ela perde o rumo. Preocupada em fazer a coisa certa, ao mesmo tempo ela pesa o que as consequências disso poderiam fazer com o que ela conhece.

    Gostei dessa divisão na personagem e a achei muito realista. Na vida muitas vezes queremos fazer a coisa certa, mas por n motivos acabamos ou dando desculpas ou nos convencendo de que pode não ser o melhor a fazer. E, pior que isso, ficar refém do segredo de outra pessoa é um peso terrível. 

   A leitura flui muito bem, e de acordo com o andamento da história, vemos uma trama muito maior do que o relevado aparecer e que todos temos segredos. O livro gira muito em torno de hipóteses também. Se tal personagem não tivesse feito isso naquele segundo, isto teria acontecido. Se ele tivesse feito isso, isso não teria acontecido. Do mesmo modo que isso me deixou um pouco nervosa, pois foi uma coisa pequena que gerou um grande problema, me deixou fascinada. O desfecho do livro toma novas dimensões com isso.

   E, falando do desfecho, foi maravilhoso. Tudo se encaixa e, apesar de poder ter sido de maneira diferente, achei coerente e realista também. Muitas vezes somos movidos por muitos motivos diferentes para agir do jeito que agimos. Recomendo àqueles que gostam de um bom suspense ou de um drama familiar, os dois se encaixam. Foi um livro que me marcou esse ano e que talvez leia novamente.

   Minha única reclamação com essa edição foi a fonte. Por que tão pequena? As margens são bem largas, e poderia ter se equilibrado melhor isso. Tirando isso, a divisão dos capítulos é bem definida e gostei da formatação do livro, que precisa muitas vezes diferenciar um pensamento de uma fala ou narrativa.

   E vocês, já leram? Estão interessados? Deixem nos comentários, por favor ;)

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Fnac, Saraiva, Submarino, Travessa.

Boa leitura!


Monetização: Lomadee

Oi pessoal,

   Vim aqui falar de uma novidade que vou testar no blog, e se der certo, manter. Como alguns sabem, eu mantenho o blog sozinha (domínio, sorteios, etc) e dessa forma, o custo é todo meu. Conheço alguns blogs que usam o Lomadee e resolvi ver se funciona aqui.

   O que isso muda no blog? Por enquanto nada. O Lomadee é uma forma de monetização, e cada resenha agora contará com links de compra no final das mesmas, direcionando para sites confiáveis e conhecidos: Saraiva, Submarino, etc. A diferença é que quando vocês comprarem lá, uma pequena porcentagem virá para o blog. Não muda o valor da compra de vocês mas vai me ajudar a manter o blog e, se tudo der certo, poder melhorar algumas coisas.

   Não é obrigatório comprar por esses links e a qualidade do blog não vai cair se isso não der certo, fiquem tranquilos :) Adicionarei os links nas resenhas antigas e nas que vierem, e talvez coloque um banner de promoção de vez em quando. Esse post não é para recomendar o Lomadee, porque, como disse, ainda vou testá-lo, e não é publieditorial.

   Qualquer dúvida de vocês, estou à disposição.

Um abraço,

Sarah Sindorf.

Murmúrio

ATENÇÃO: Esse é o quarto livro da série Riley Bloom, o primeiro é Radiante. Esse post contém spoilers dos livros anteriores.


Autora: Alyson Noël
Editora: Intrínseca

   Depois de um fracasso no último livro, é hora da nova missão (oficial) de Riley. Apesar de pedir por um desafio à sua altura, ela teme que esse seja demais. Designada para ajudar um antigo e famoso gladiador, chamado de “Pilar da Destruição”, Riley mergulha no mundo antigo, um mundo diferente e muito violento.

   Focada na sua missão, Riley acaba passando por uma transformação: mais alta, mais bonita e o que ela mais desejava, mais velha. E nesse novo mundo, Riley acaba descobrindo o amor. Terá ela força para cumprir a missão e voltar para Aqui?

   Esse foi o livro que eu mais gostei. A personagem principal está mais amadurecida, mais consciente de si mesma e mais esforçada para fazer parte de Aqui e ser uma ótima Apanhadora de Almas. Entretanto, essa missão é muito difícil e existe um grande risco de que ela se perca para nunca mais voltar.

   Aqui vemos mais um tipo diferente de alma e de situação, e lidamos mais uma vez com uma grande culpa e em parte, cegueira. O mundo em que Riley se encontra é brutal, perigoso, e de algumas formas, tentador. E vimos nesse livro seu maior crescimento. Gostei muito do final da série, mas queria mais alguns livros e esperava um desfecho diferente.

   E vocês, já leram? Gostaram do desfecho? Deixem nos comentários, por favor :)

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Saraiva, Submarino, Travessa.

Boa leitura!

Poder

ATENÇÃO: Esse livro contém cenas de sexo e eu não recomendo para menores de 18 anos. É o terceiro livro da série Encantadas, mas a resenha não contém spoilers dos anteriores.


Autora: Sarah Pinborough
Editora: Única


   Um príncipe e um caçador saem em busca de um reino perdido, pois o príncipe precisa de uma aventura. No caminho, encontram uma jovem, Petra, curiosa com o que há por trás de um muro de plantas intransponível. E é dentro desse muro que acham um reino adormecido, com uma bela mulher deitada em uma cama. E ao acordá-la, a aventura começa. O que há de errado com o lugar e quem gostaria de amaldiçoar uma Rainha tão bonita e bondosa?

   Sempre gostei da história da Bela Adormecida. Pobre alma bondosa e cheia de qualidades que é condenada a dormir cem anos e acordar em um mundo totalmente desconhecido, mas que ganha um amor verdadeiro ao despertar. Parece ser uma boa recompensa para tamanho castigo. Mas será que é isso que acontece realmente?



    Conhecemos nesse volume um príncipe bonito, mas com uma certa dose de irresponsabilidade e um tanto superficial e um caçador jogado nessa aventura sem ter opção, mas que é sério e perceptivo. Além deles temos Petra, uma jovem mulher cheia de vida, que precisa descobrir o que a chama atrás de um muro misterioso.

    A cidade que descobrem é estranha e silenciosa. E quando exploram, encontram pessoas adormecidas em posições estranhas por toda parte. Mas, quando entram no castelo, encontram mais mistérios, entre eles uma bela mulher adormecida. E ao despertá-la, podem estar despertando muito mais do que esperam. Descobrem um segredo terrível e se envolvem em uma trama antiga.

    Gostei muito desse livro. Gostei das mudanças na história da Bela Adormecida, e gostei da forma que envolveram outros contos de fadas, que pareceu muito mais natural que nos outros volumes. Os personagens são muito mais cativantes também e tem cenas horripilantes. Foi uma leitura rápida, mais pelo fato de não conseguir largar do que pelo livro ser pequeno.



    Fiquei satisfeita com o desfecho da trilogia e com a forma que a autora interligou os três. No final tem uma entrevista com a autora que me ajudou a entender melhor o seu trabalho. O trabalho gráfico é o mesmo dos anteriores: papel amarelo, letra confortável e marcador destacável no final. E vocês, terminaram a trilogia? Gostaram? Deixem nos comentários ;)

Boa leitura!

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) AmericanasCulturaFnacSaraivaSubmarino.

Ps: Esse livro faz parte do Desafio Literário Skoob 2014,

referente ao mês de Abril

Turma da Mônica (edição 89 - Maio 2014)


   Continuando a postagem dos meses anteriores, vou falar aqui das revistas da Turma da Mônica do mês de Maio de 2014. Espero que gostem! 

   Essas são as edições 89 (Maio de 2014):



Magali - Uma Festa de Outro Mundo

   Nessa edição, a história principal é sobre o aniversário da Magali. A mãe e o pai de Magali se desesperam com a proximidade da festa e do que falta fazer quando todos chegam. A festa é à fantasia, e junto com a turma chegam dois estranhos seres, que fazem uma enorme bagunça. Muito divertida e cheia de piadas sobre as poucas vezes que o pai de Magali aparece.

Nessa edição também temos:
Uma história do Mingau (Esse Gato é o Maioral!), outras duas da Magali (uma sem título e Lata de Qual Cor?), uma da Tina (Um Biquíni bem Pequenininho...), uma da Turma do Penadinho (Lobo da Lei e da Desordem), e uma tirinha da Magali.


Cebolinha - Um Plano Infernal

   Nessa história principal, o Cebolinha está inconsolável por não conseguir derrotar a Mônica, até que um misterioso homem oferece um acordo: uma coisa simples em troca de um plano infalível. Quando Cebolinha aceita, ele some deixando um estranho cheiro de enxofre no ar... será que dessa vez o nosso amigo troca-letras consegue vencer a Mônica? Como sempre, a história foca na inocência e amizade da turminha.

Nessa edição também temos:
Uma história do Jeremias (Não é hora de acordar!), uma do Piteco (O Ovo), outras duas do Cebolinha (uma sem título e A Luva), uma da Turma do Penadinho (Um Lobisomem fora de Controle), uma do Nimbus (Roupas), uma da Dona Morte (sem título) e uma tirinha do Cebolinha.


Cascão - A Fantástica Fábrica de Guarda-Chuvas

   Depois de três dias de chuva, Cascão precisa sair de casa, com seu companheiro inseparável aberto. Graças a um problema acaba conhecendo um fabricante de guarda-chuvas, que o apresenta a fábrica, onde Cascão descobre vários guarda-chuvas inspirados na turminha. Uma história pequena, mas que mostra toda a personalidade da turma e do personagem principal.

Nessa edição também temos:
Uma história do Nimbus (sem título), uma do Humberto (É o Bicho! É o Bicho!), outras três do Cascão (Nuvem, Super-Heróis e Meu Herói foi por Água Abaixo), uma do Toneco e Rolo (Palavras Bonitas), uma da Cremilda e  Clotilde (Há um Cascão no Meio do Caminho), uma do Anjinho (sem título), uma do Bidu (O Banheiro do Bidu), uma da Turma do Penadinho (sem título) e quatro tirinhas do Cascão.




Chico Bento - O Mensageiro dos Deuses

   Hermes aparece na vila, observando os mortais, e acaba se machucando. Passa a tarefa de entregar várias mensagens importantes ao Chico, que acaba confundindo os destinatários e remetentes. Mas, como toda a confusão, coisas boas podem vir.

Nessa edição também temos:
Uma história do Raposão (Pedaço do Céu), uma do Zé Lelé (Dilema Capilar), outras três do Chico Bento (O Atalho, Cada Coisa em seu Lugar e A Árvore Especial), uma do Piteco (Consciência Pré-Histórica), uma do Papa-Capim (A tal da Anaconda)  e uma tirinha do Chico Bento.





Mônica - No Mundo dos Planos Infalíveis

   Mônica escuta Cebolinha dizer que está esperando um plano infalível chegar e resolver ir até o lugar onde são feitos para impedi-los. Mas com isso acaba envolvendo o Anjinho e fazendo uma baita confusão. 

Nessa edição também temos:
Uma história do Zé Munheca (sem título), uma do Dudu e a Turma do Bermudão (Uma Bermudinha na Turma), uma da Turma da Mônica (Monstro do Lago), uma da Turma do Penadinho (O Frank não é um de Nós), outras duas da Mônica (A Duas Caras e A Árvore da Felicidade), uma da Tina (Radicalizando no Look), uma da Marina (Pensam, logo Desenho!), uma do seu Juca (Um Vigia no Museu) e uma tirinha da Mônica.


   Comentem se gostaram e o que gostariam de ver sobre essas revistas, por favor :)
   E se compraram essas edições e gostariam de comentar alguma coisa podem me mandar mensagem através da página (para não dar spoilers para os leitores aqui).

Boa leitura!

O Menino Oceano


Autor: Jean-Claude Mourlevat
Editora: Edelbra

Livro gentilmente cedido pela Editora Edelbra

   Yann tem seis irmãos mais velhos, três pares gêmeos, e é extremamente perspicaz e inteligente. Entretanto, ele é pequeno demais. Em uma noite chuvosa, os sete fogem de casa, e saem em busca do mar. A viagem e seu motivo tomam uma proporção maior do que imaginavam e pode mudar tudo o que conhecem.

   "Nesta reinterpretação moderna do clássico O Pequeno Polegar, de Charles Perrault, Jean-Claude Mourlevat, finalista do Prêmio Hans Christian  Andersen em 2012, constrói uma empolgante narrativa a partir dos relatos das testemunhas dessa jornada."

   Fiquei curiosa com essa afirmação da contra-capa, mas nunca li esse clássico e não quis pesquisar mais sobre ele para não ter spoilers. Então, li esse livro sem conhecimento do anterior, e não posso comentar nada sobre essa reinterpretação. 

   Yann é um menino que vai muito bem na escola e consegue se comunicar de formas inusitadas, mas sofre com bullying por ter a altura de um menino de 2 anos, quando tem 10. Apesar da estatura, Yann não é um anão, só é pequeno, citando o livro, como uma miniatura. Além desse problema, ele sofre por querer estudar em uma família que não incentiva os estudos, quase chegando a desestimulá-lo. 

   Seus irmãos o respeitam e seguem muitos de seus conselhos, inclusive os dois mais velhos. Ao mesmo tempo, seus pais o acham esnobe e prepotente, e tem uma relação distante. Em uma noite, Yann estimula os irmãos a sair de casa, e o sumiço das sete crianças vai parar na imprensa e na polícia.

    O livro é narrado por vários olhares, em algumas partes o enredo é contado por entrevistas, feitas após o caso ter sido resolvido, mas só sabemos o que acontece nos capítulos finais. Apesar de ter ficado interessada até o término, não gostei muito do motivo dado no desfecho. Não foi um motivo destoante da história, foi uma questão pessoal. Mas, de uma forma geral, foi uma leitura gostosa, e recomendo para aqueles que gostam de uma aventura e histórias com crianças.

Começo do primeiro capítulo
   As páginas são amareladas e o trabalho gráfico é muito bom. As orelhas são maiores do que o normal e a capa é muito bonita. O livro é pequeno (tem 135 páginas) e foi uma leitura rápida. E vocês, já leram? Estão interessados? Não esqueçam de comentar :)

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Saraiva, Travessa;

Boa leitura!

[Promoção] 3 Anos Este Já Li!


   Quem de vocês não gosta de uma boa promoção? Ainda mais quando vem com um bom motivo, não é?

   O Este Já Li completa 3 anos em maio e fui convidada para participar dessa festa, onde os leitores que ganham! Junto com os blogs Sincerando, Minha Vida Literária, LiteRata, Leitora Compulsiva, Meu Livro, Meu Mundo e a autora Sabrina Castro, o Este Já Li montou esses dois prêmios incríveis (4 livros para o primeiro e 3 para o segundo ganhador) para vocês!


Para participar, não esqueçam de preencher o formulário abaixo! A primeira entrada é livre, mas tem várias opções extras para mais chances de ganhar! Não se esqueçam de conferir as informações e regras após o formulário ;)

Não deixem de conferir os outros kits com mais livros no blog Este Já Li, clicando aqui.

a Rafflecopter giveaway

Informações:
­ É necessário ter endereço de entrega no Brasil;
­ O prazo de envio dos livros é de 30 dias úteis e eles chegarão em datas diferentes;
­ Perfis fakes e exclusivos para divulgações de promoção serão desclassificados, se sorteados;
­ Após o término da promoção, o ganhador terá 72 horas para responder o email com os dados solicitados;
­ Não nos responsabilizamos por extravios ou danos dos Correios;
­ Qualquer dúvida, enviar email para ceile.dmoraes@gmail.com .

A Filha das Sombras


Autor: Caio Riter
Editora: Edelbra

Livro gentilmente cedido pela Editora Edelbra

   Dora é uma adolescente normal, que vive com a tia e frequenta a escola. Tem alguns amigos, se diverte com eles. Mas, uma coisa a perturba: a falta dos pais. Seu pai morreu no dia de seu nascimento, e sua mãe aparece somente uma vez ao ano, no aniversário da filha. Porém, quando Dora completa 15 anos, um segredo lhe é revelado e tudo muda. Ela tem então que repensar sua vida e fazer escolhas. Será ela capaz de lidar com essas mudanças?

Detalhe do começo de capítulo

   "Estas estranhas mulheres que têm poderes sobre a natureza, que são capazes de gerar vida e morte, senhora dos feitiços, seres capazes de voar sobre vassouras e de se transformar em pássaros negros sãos as bruxas. Diante de umas delas, só podemos mesmo tremer."



   Essa frase na contracapa me deixou curiosa, eu gosto muito de histórias com bruxas e seres sobrenaturais. A história de Dora traz um pouco mais do que isso, é também sobre uma menina que começa a se interessar por meninos, insegura perante a falta de relação que tem com a mãe, magoada por ter sido abandonada por ela para morar com a tia e saudosa de um pai que nunca conheceu. 

   O livro é narrado por Dora, então tudo se volta à ela. Nesse ponto o livro me cansou um pouco, pois não simpatizei com ela. É uma menina nova, mas muito insegura e impulsiva, e isso se mostra muitas vezes na história. Ela acaba não ouvindo em muitas vezes que eu gostaria de ouvir mais, e agindo de forma irresponsável em outras que eu preferiria que ela esperasse ou consultasse alguém.

Detalhe no final da página
   Mas, de forma geral, o livro me agradou. Li rapidamente, em um dia, e fiquei curiosa para saber o final. O acabamento é caprichado, com várias imagens, divisão definida de capítulos (que são dias de semana e datas durante o período contado) e um "Arquivo Secreto das Bruxas", que tive que cortar cuidadosamente, pois as folhas vem grudadas, com a famosa linha pontilhada para corte. E vocês, já leram, se interessaram? Deixem nos comentários ;)

Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Cultura, Travessa;
ou na Loja da Editora.

Boa leitura! 

[Promoção] Mês das Mamães


    Nesse mês tão especial, cinco blogs se juntaram para presentar os filhos e as mães leitoras! Parabéns a todos vocês! Confiram os prêmios abaixo:

Sincerando - Coisas Frágeis (Volume 01), de Neil Gaiman
Babi Lorentz - Bling Ring, de Nancy Jo Sales, com filme homônimo, estrelado por Emma Watson
Tagarelando - Sociedade Secreta do Sexo, de Marcos Nogueira

   A promoção começou dia 01/05 e vai até dia 31/05/14, tendo somente um vencedor. A primeira entrada é o preenchimento obrigatório do e-mail, mas tem várias chances extras: seguir no Bloglovin, Twitter, Facebook, Instagram e Youtube. Fiquem atentos às regras e se inscrevam no formulário abaixo:

- É necessário ter endereço de entrega em território brasileiro;
- Envie um endereço válido, se o prêmio voltar o reenvio é de responsabilidade do vencedor;
- Ao vencer, você terá 48 horas para responder com seu endereço o e-mail quer será enviado.

Boa sorte!

a Rafflecopter giveaway

Todos os meus amigos são Super-Heróis

"A Centro das Atenções pode fazer de tudo, e melhor do que qualquer pessoal, 
desde que tenha a atenção que procura."


Autor: Andrew Kaufman
Editora: Leya

Ebook gentilmente cedido pela parceria: Leytoras

   Tom é um ser humano normal. Ele não tem poderes e vive uma vida tranquila. Entretanto, ele acaba conhecendo e fazendo amizade com vários super-heróis, entre eles o Anfíbio. Tom acaba se apaixonando por uma super-heroína, a Perfeccionista, que tem o poder de tornar e fazer tudo perfeito. 

   No dia do casamento dos dois, um ex da Perfeccionista, o Hipno, estraga a felicidade dos dois ao hipnotizar a noiva, fazendo Tom ficar invisível somente para ela. Depois de dois meses sem enxergá-lo, ela resolve recomeçar a vida e mudar de cidade, e Tom tem pouco tempo para fazer sua esposa perceber que ele está ali ao seu lado. 

   Esse é um livro bem pequeno. Peguei de madrugada, pensando que seria uma leitura rápida, me ajudando a pegar no sono. Acabou sendo justamente o contrário. Comecei sem expectativas e fiquei totalmente sem sono, doida para saber como acabaria e o que Tom faria.

   Entretanto, nem todas as páginas são sobre Tom e a Perfeccionista. Temos também alguns flashbacks sobre a vida de Tom, como ele conheceu os super-heróis, como ele conheceu sua futura esposa e, o que eu achei mais legal, a descrição de vários super-heróis e como funcionam seus poderes.

"Vai ficar lá, esperando, e vai ficar tão entediado que vai ligar para sua mãe e isso de ter que matar tempo vai deixar você mais falante e você e sua mãe vão ter uma conexão que não tinham desde que você saiu de casa e foi pra faculdade."

    Apesar do pouco número de páginas, acredito que é um livro que todos vão se identificar, porque tem tantos superpoderes baseados em características normais que mesmo que não batam com as nossas, nós conhecemos alguém que os tem. Em alguns pedaços me peguei rindo ao reconhecer um amigo ou conhecido. No meio dos capítulos também há várias ilustrações, tirei foto de uma que não contém spoiler:



    A história de Tom e a Perfeccionista é pequena, mas foi muito bem escrita para mim. Você consegue ver os medos e expectativas de um casal e sentir a afinidade e amor entre eles. Tem um desfecho adorável e só fiquei com pena de não ter mais. Recomendo para aqueles que precisam de um pouco de animação e risadas. E vocês, já leram? Gostaram? Deixem seus comentários, por favor! :D


Compre aqui: (você ajuda o blog com uma pequena porcentagem sem aumentar o valor da sua compra) Americanas, Cultura, Saraiva, Submarino, Travessa.

Boa leitura!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...